Astrologia zodiacal: o simbolismo como fundamento da cosmologia

  • Bruno Bertolossi de Carvalho Universidad de Caldas

Resumen

Este estudo é uma contribuição para a pesquisa antropológica sobre a astrologia zodiacal, apresentando uma reflexão sobre as consequências lógicas do simbolismo como pressuposto metafísico. Tal ideia impõe um tipo específico de fundamentação do sistema astrológico e que este desempenhe o papel de base da cosmologia pressuposta pelos astrólogos diante de qualquer objeto. Acompanhando um trabalho de campo sobre o tema, este artigo se concentra na justificação de sua hipótese através de entrevistas com três astrólogos, orientado metodologicamente por uma concepção hermenêutica da antropologia.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
  • Referencias

    Barros, Rui (1989). O espelho partido: astrologia & psicopatologia: a possibilidade de diagnóstico e prevenção. São Paulo: Ágora.

    Bergson, Henri (2005). Cursos sobre a filosofia grega. São Paulo: Martins Fontes.

    Costa, María Elizabeth (2007). Os signos do Zodíaco como um sistema de classificação. Textos escolhidos de cultura e arte populares. Rio de Janeiro, v. 4, n.° 1, pp. 39-48.

    Defrance, Philippe (1972). A astrologia erudita. In: Morin, Edgar. Defrance, Philippe., Fischler, Claude & Petrossian, Lena. O retorno dos astrólogos: diagnóstico sociológico. Lisboa: Moraes.

    Durkheim, Emile (2008). As formas elementares de vida religiosa. São Paulo: Paulus.

    Durkheim, Emile & Mauss, Marcel (1998). Algumas formas primitivas de classificação. In: Rodrigues, J. A. (Org.) Emile Durkheim: sociologia. São Paulo: Ática.

    Geertz, Clifford (1989). A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC.

    Giacoia Junior, Oswaldo (2013). Heidegger urgente: introdução a um novo pensar. São Paulo: Três Estrelas.

    Lévi-Strauss, Claude (1989). O Pensamento Selvagem. Campinas: Papirus.

    Lévi-Strauss, Claude (1980). Totemismo hoje. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural.

    Magnani, José Guilherme (1999). Mystica Urbe: um estudo antropológico sobre o circuito neo-esotérico na metrópole. São Paulo: Studio Nobel.

    Martins, Roberto (1995). A influência de Aristóteles na obra astrológica de Ptolomeu (O Tetrabiblos). Trans/Form/Ação. São Paulo, 18: 51-78.

    Morin, Edgar, Defrance, Philippe, Fischler, Claude & Petrossian, Lena (1972). O retorno dos astrólogos: diagnóstico sociológico. Lisboa: Moraes.

    Pinheiro, Marcus. Determinismo, liberdade e astrologia nos Estóicos. História, imagem e narrativas. N° 10. Abril / 2010.

    Rapport, Nigel & Overing, Joanna (2000). Social and Cultural Anthropology: the key concepts. New York: Routledge.

    Van De Beuque, Guy (2004). Experiência do nada como princípio do mundo. Rio de Janeiro: Mauad.

    Vilhena, Luíz Rodolfo (1990). O mundo da astrologia: estudo antropológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

    Viveiros De Castro, Eduardo (1996). Cosmologia. In: BONTE, P. & IZARD, M. (Org.) Diccionario de Etnología y Antropología. Madrid: Akal.
Publicado
2018-02-12
Cómo citar
Bertolossi de Carvalho, B. (2018, febrero 12). Astrologia zodiacal: o simbolismo como fundamento da cosmologia. CIENCIAS SOCIALES Y EDUCACIóN, 6(11), 117-133. https://doi.org/10.22395/csye.v6n11a6
Sección
Artículos resultado de investigación